A origem da vida: desenho inteligente ou imaculada conceição?

A origem da vida: desenho inteligente ou imaculada conceição?

É muito difícil para uma pessoa materialista acreditar que Maria ficou grávida sem ter relações com nenhum homem e sem inseminação artificial. Mas, a suposta origem da vida na terra é ainda mais inacreditável.
Por FG Helmke
Ter um filho do nada? Lógico que isso parece ridículo. Concordo plenamente: se não existir Deus, não existe uma explicação razoável. De onde veio a outra parte dos cromossomos de Jesus, especialmente os cromossomos Y que não existem nas mulheres?
Ao mesmo tempo porém, os materialistas insistem veementemente que a vida na terra começou do nada. Ao longo da história a humanidade sempre acreditou nisso, até o dia em que Louis Pasteur começou a pasteurizar o leite para matar os micróbios que o estragam.
O mofo no pão, as larvas dos mosquitos, os cogumelos no mato, tudo isso supostamente sempre originou do nada. Os gregos pensavam que existia uma força criativa no ar que ajudou a criar vida do nada. Isso foi ensinado nas escolas por muito séculos.
A ideia da origem da vida do nada se chama de “abiogênese”, o contrário da “biogênese”, o que significa que a vida sempre vem de outra vida. Pasteur estudava micro-organismos, começando com aqueles que tornavam suco de uva em vinho, e em 1861 comprovou que a biogênese é uma lei da natureza e que a abiogênese não existe.
São apenas 160 anos que sabemos disso e que temos que lavar as mãos antes de comer, para não ficar doentes por misturar micróbios ruins com nossa comida. A propósito, o povo de Maria já fazia isso desde séculos porque o livro que prevê o nascimento de Jesus já tinha uma seção importante sobre higiene o que os seus seguidores aplicavam.
Quando peguntaram a Charles Darwin como a vida na terra começou, ele não quis dar uma resposta bem clara, só disse que talvez ela se juntou numa lagoa quentezinha. Logo seus seguidores inventaram inúmeras teses sobre a origem da vida do nada, como os aminoácidos se formavam e se juntavam para criar moléculas de proteínas que se juntavam para começar a produzir seres vivos simples.
Hoje sabemos que não existe “vida simples” e que nenhuma destas teses é razoável. Ainda pior, nas últimas décadas descobrimos que estes micróbios supostamente simples são incrivelmente complicados e funcionam na base de informações contidas neles.
Há programas em suas estruturas que controlam maquinas moleculares para criar e sustentar uma série de mecanismos de uma complexidade incrível. Como disse Bill Gates, “a informação no DNA é milhares de vezes mais complicada de que qualquer programa humano!”
A vida nesta terra começou faz mais ou menos 4,5 bilhões de anos. A pergunta então é a seguinte: De onde veio o programa nesta vida supostamente simples? Há 4,5 bilhões de anos já existiam plantas extraindo gás carbônico do ar. E com um processo complexíssimo, a fotossíntese, elas produzem até hoje a seu alimento, a seiva das plantas.
De onde veio a informação que faz as plantas produzirem aquela cor verde, a clorofila, que na verdade é uma molécula altamente complexa? Desde 4,5 bilhões de anos ele torna a energia solar em energia para as plantas!
De onde veio o plano para que a planta possa construir células cheias de máquinas celulares que produzem outras máquinas moleculares que constroem não apenas seiva e oxigênio, mas milhares de outros produtos essenciais para a vida?
Da mesma maneira como não se pode ter um filho do nada, se não existir um Deus, a vida também não veio do nada. Nem um simples aplicativo de celular se desenvolve sozinho, sem programador! Simplesmente não existe nenhuma explicação razoável para a origem da vida. A não ser que um criador inteligente tinha escrito estas linhas no DNA.
Jesus tinha pelo menos uma mãe. Será mesmo que a primeira vida na terra não tinha ninguém?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *